18/02/2015

A PROPAGANDA ILUSIONISTA DOS MERCADOS. UMA ILUSTRAÇÃO: O CASO PT

Há alguns temas recorrentes na propaganda dos plantões ao serviço da nova ordem capitalista que cada vez mais se impõe subrepticiamente no mundo.


--> Esta publicação do grupo americano-brasileiro Globo ajuda a fabricar uma imagem idílica de "grande empresário" do player  que comprou a PT (ver link no final)







FANTASIAS VENDIDAS A PATACO

Uma das ideias que esses charlatões 'vendem' é que os países estão em crise porque não têm empresários competentes e empreendedores, e são demasiado corruptos. Ou ainda que a culpa é da população, preguiçosa e ignorante...

Para os propagandistas da "nova ordem", o sistema capitalista que designam por "o mercado" está cheio de gente séria.  Desde que se tenha iniciativa consegue-se enriquecer rapidamente. E qualquer país pode superar a crise, é só deixar 'o mercado' funcionar sem entraves sindicais, sem lutas, sem direitos.

TOMEMOS UM EXEMPLO RECENTE - A PT

Será que o maior grupo tecnológico português foi vendido - de forma caótica e por um preço 2 ou 3 vezes inferior ao seu valor real - apenas porque os seus gestores foram medíocres ou corruptos? 

E o comprador, esse sim,  é um empreendedor talentoso que subiu a pulso - como de forma grosseiramente demagógica é pintado pelos media mundiais?

Tudo mentiras!
A PT - apesar das culpas dos seus gestores, que no entanto são de nível mundial - terá sido prejudicada por interesses alheios à empresa. Nada de mais, afinal acontece no mundo todo. Estes gestores só tiveram algum 'azar'... cheira-me que o maior deles foi não servirem (ontem, hoje já não digo nada...) a Goldman Sachs ou a Carlyle.

O VERDADEIRO VALOR DA PT

A verdade é que a  PT era - e é - uma ótima empresa, como se vê nos números públicos.
Tomando 2013, ano mais típico que 2014, quando surgiu a confusão Rioforte/BES e o efeito Oi ganhou força.
As receitas operacionais da PT ascenderam a 2.911 milhões de euros, e o lucro antes de impostos, a 1.162 milhões euros.
Os seus ativos eram então superiores a 12.000 milhões de euros
Isto, sem as contas da Oi, porque com estas os números atrás multiplicam-se várias vezes.

Certo que em 2014 houve o prejuízo dos 897 milhões da Rio Forte/GES. 
O que, sendo relevante, jamais afetaria o valor duma empresa que tem um ativo e vendas ou lucros como os da PT. Este golpe foi apenas um pretexto para uma campanha desvalorizadora da imagem da PT e para a administração da Oi vender a PT.
  
Veja-se que a PT vendera poucos anos antes os seus 50% da Vivo, e só isso rendeu-lhe 7,5 mil milhões de euros. Com menos de metade desse dinheiro, comprou então 23% da Oi dentro dum projecto conjunto PT-Oi que resultaria na construção dum grande grupo de língua portuguesa. Hoje vemos que afinal havia pessoas ou forças internas e externas que não estavam interessadas: à primeira oportunidade enterraram o projecto.

Agora a PT é vendida por 7,4 mil milhões € à Altice, do judeu francês Patrick Drahi.

Como é possível? E como por esse preço, numa empresa que além de dominante em Portugal, detém 23% da Oi e detém as principais Telecoms de Angola, Cabo Verde, Moçambique, Timor e outros países?

AS VERDADEIRAS RAZÕES DO NEGÓCIO PT

Tudo aponta que as razões da ruinosa venda da PT só podem ser encontradas em jogadas da alta finança mundial e em poderes político-económicos secretos que manipulam a seu belprazer - imaginamos por que meios - de modo a criar condições para comprar a preço da chuva e para vender caro mais tarde, ou simplesmente para fins estratégico-políticos.

Como parece ser o caso deste Patrick Drahi que, sabe-se agora, anda a preparar um grande grupo mediático judeu na Europa, que possa abarcar novos setores  da opinião pública mundial.

Como é que uma empresa que cresceu tanto, e deu sempre altos lucros, pôde ser vendida apenas pelo valor que tinha a sua própria participação na Vivo, poucos anos antes? Absurdo.

Outra explicação - não contraditória, mas complementar - é de natureza estratégico-política. Além do projeto duma Aljazira euro-israelita, poderá haver aqui 
uma "mão comprida" nas telecomunicações em Portugal e no Brasil (conferir link abaixo do novo cabo para  a Europa).


UM SISTEMA MINADO POR PODERES OCULTOS

Todos estes negócios não seriam possíveis sem o apoio de poderosos bancos. Já chego lá...

Mas para os propagandistas do 'mercado', o capitalismo funciona todo ele a azul e rosa: um mundo perfeito onde só contam as capacidades individuais e a competência - eis uma fábula em grande estilo.
Apenas propaganda grosseira.

A realidade grave é a dos poderes ocultos que desgovernam o mundo, fazendo e desfazendo conglomerados e países a seu belprazer, como se constata agora mesmo, vendo as notícias do dia! Poderes com uma agenda própria.

E o famoso mercado, não existe?  Existe. Só que é manipulado com toda a facilidade por tão grandes poderes. Eles podem até jogar dentro das regras. Mas quando não lhes convém alteram-as e o jogo passa para baixo do pano...

Para grupos com mais dinheiro que a maioria dos países - caso da Goldman Sachs ou da Carlyle, por exemplo - tudo é possível. Quem duvida?

LINKS IMPORTANTES PARA PREENCHER O PUZZLE

Finalizo com alguns links onde se podem conferir os dados e hipóteses enunciados.

A - Interesse em dominar a PT para interferir nas comunicações brasileiras (não sendo de excluir que a OI esteja incluída no pacote, uma vez que a PT detém 23% da OI e é o maior acionista)


O objetivo é diminuir a dependência das redes que...
TECMUNDO.COM.BR|DE TECMUNDO



B - Comprovativo de que a PT valia muito mais que os 7,4 mil milhões de euros por que foi vendida, uma notícia de 2006:

 http://www.dn.pt/bolsa/interior.aspx?content_id=1792636

PT alcança lucro nunca antes registado por uma...
DN.PT|DE GLOBAL MEDIA GROUP


C - As historietas dos que fabricam (literalmente) a imagem dos testas de ferro, pintando-os como grandes empresários milagreiros, que sobem a pulso por mérito pessoal e a partir "dum pequeno negócio":


D - A realidade é bem diferente. Patrick Drahi deu o salto após se ter juntado ao suspeitissimo grupo Carlyle:

http://economico.sapo.pt/.../fortuna-de-patrick-drahi...

A entrada em bolsa da Altice e a valorização das...
ECONOMICO.SAPO.PT|DE IBT INTERNET BUSINESS TECHNOLOGIES, SA


E - E o que é a Carlyle? Aqui vai um pequeno "cheirinho":


Ou o poder financeiro da Carlyle na Ásia. Terá sido por isso que Drahi, na altura dono duma pequena consultora europeia, conseguiu o contrato da instalação da fibra ótica em Pequim (que o lançou no mundo da alta finança)? - é apenas uma pista.
http://exame.abril.com.br/.../carlyle-levanta-us-3-9-bi...


Fundo é o segundo maior de private equity já criado...
EXAME.ABRIL.COM.BR


F - E quem financia de facto? Várias notícias apontam o alto endividamento do grupo Altice. Sempre expandindo, porém, com novas e vertiginosas aquisições .

Aqui se vê quem o financia. A notícia diz que "ele escolheu o banco". 
Não será o contrário? 
Testas de ferro não escolhem, são escolhidos.
Será?
http://economico.sapo.pt/.../goldman-sachs-e-morgan...

Os donos franceses da Cabovisão e da Oni já...
ECONOMICO.SAPO.PT|DE IBT INTERNET BUSINESS TECHNOLOGIES, SA


G - A omnipresente Goldman Sachs. Interessante saber quem a dirige, no caso, o próprio presidente. NOTA: Talvez mais interessante que os conteúdos, de duvidosa fiabilidade, da Wikipedia, seja no final de cada artigo, a tabela das relações e categorias.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Lloyd_Blankfein

Lloyd Craig Blankfein (Nova York, 20 de Setembro de...
PT.WIKIPEDIA.ORG



Nota

Um pouco à margem do tema, é interessante notar que, segundo a Wikipedia:

"Goldman Sachs esteve envolvido na origem da crise financeira da Grécia, pois ajudou a esconder o déficit das contas do governo conservador de Kostas Karamanlis. Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu, era vice-presidente do Goldman Sachs para Europa, com funções executivas, durante o período em que se realizou a ocultação do déficit"

Como se vê, tudo boa gente, nada manipuladora. Nem sabem o que isso é...

A competência, o empenhamento, e o espírito empreendedor é que contam”. - Boa piada...









14/02/2015

A MANIPULAÇÃO NOS MEDIA ON LINE SABOTA A DEMOCRACIA

As páginas de comentários on-line dos principais media portugueses estão cada vez mais intragáveis, quer pela baixeza dos insultos de prostíbulo que ali prolifera, quer pela desmultiplicação de perfis falsos e multi-nick anónimos, quer pela configuração das plataformas que afasta qualquer leitor por mais tolerância e literacia que possua. Um dos casos mais flagrantes é o jornal Expresso.

É um facto menosprezado pelos líderes de opinião (se é que isso ainda existe entre nós). No entanto é grave do ponto de vista democrático e deveria merecer mais atenção.

O sistema de informação mediático é dominado por comentadores e jornalistas comprometidos com o sistema em maior ou menor grau, escolhidos a dedo para os noticiários principais de modo a manipular o maior público possível.

SPAM, ASSÉDIO E MANIPULAÇÃO NA INTERNET
Mas as cliques no poder também perceberam a importância da internet. Aliás, tornou-se ‘obrigatório ‘ nas campanhas eleitorais constituir task-forces que mantêm a propaganda e a contra-informação de cada partido bem ativas nos media e nas ‘redes sociais’.


                                             Página de comentários a um artigo no Expresso on-line

Daí, a presença de plantões permanentes , em todas as páginas on-line e redes sociais, constituídas por “boys” partidários previamente preparados ou por tarefeiros das agências de desinformação contratadas - facto mais que provado.

As suas técnicas têm padrões:

 - Colocarem o primeiro comentário em cada  notícia mais lida, de modo a aumentar a visibilidade da propaganda do plantão

– Manter diálogos enormes entre os agentes do plantão ou entre perfis falsos criados por um só  agente, de modo a realçar a sua própria propaganda e a abafar a visibilidade dos opositores, empurrados assim para o fim da fila ou para segundas páginas; estes, se querem visibilidade, ficam obrigados a entrar como mera resposta ao comentário principal, no meio duma lixeira de diálogos artificiais semeados pelo plantão

- Nada de debates construtivos com o adversário; apenas propaganda do  lóbi que representam, se preciso truncando ou saltando de tema arbitrariamente, mas nunca deixando o opositor sem resposta, mesmo que apenas na forma de insulto

- Quando o opositor é forte e os desmascara, recorrem ao insulto  ou à ameaça – muitas vezes usando um ‘alias’ ou perfil falso – método sempre eficaz se o objetivo é destruir; perturba o opositor  e afasta outros participantes, que não percebem o porquê da zaragata

- Uso do método tipo tortura pidesca ou esquadrão da morte dos militares latino-americanos:  polícia bom de conversa civilizada, alternando com o polícia mau, que agride, humilha e ameaça

- O uso do perfil falso ou dum nome coletivo dificulta a identificação, já que o crime, para ser alvo de processo judicial, precisa dum autor identificado.

CRIMES NÃO PODEM FICAR IMPUNES
Há que pensar  seriamente em constituir apoio jurídico contra este tipo de assédio, porque além da degradação da democracia, resultam prejuízos morais graves nos visados, sendo de responsabilizar a própria direção do Jornal ou Grupo, mesmo que ela se faça de desentendida e declare que "os comentários são da exclusiva responsabilidade de quem os faz". 

Não são. Os criminosos só têm eficácia porque a instituição os mantém publicados e não os expulsa, apesar das constantes denúncias (há um "botão" para isso em qualquer página on-line). Existe pois uma conivência óbvia da direção que a coloca sob alçada da lei.

Para o efeito, as vítimas devem proceder a capturas de écrã de todas as ocorrências de assédio e guardá-las em local seguro. Eu venho-o fazendo regularmente e é bom os autores dos crimes, seus patrocinadores e diretores ou coordenadores das páginas ou grupos não pensarem que ficam impunes destes crimes, só possíveis pela bandalheira deliberada que promovem em tais espaços.

Finalmente, é uma ilusão pensar que os diretores ou coordenadores permitem tais práticas por mera ingenuidade ou incompetência. Alguns têm contratos com agências de desinformação cujo trabalho é esse mesmo: infiltrar agentes, criar anti-informação e barrar qualquer debate democrático sério. Não excluindo que alguns coordenadores de grupos on-line sejam agentes infiltrados por agências ou serviços secretos com o objetivo de sabotar e manipular grupos anti-sistema e transformá-los no oposto, matando na raíz qualquer verdadeira resistência.

OUTRAS FORMAS DE SABOTAGEM
Referi-me a uma das formas de sabotagem da liberdade de expressão.

Mas outras existem, como a censura direta aos comentadores mais incómodos. Em algumas publicações, como o Correio da Manhã ou o Record, verifiquei que os meus comentários eram barrados sistematicamente (os sites dispõem de detetores da identidade IP da máquina fonte dos comentários, é fácil bloquear qualquer participante).

Outros, como o Público ou a Visão, são mais seletivos, apenas alguns comentários não são publicados; na Visão, é difícil ser o primeiro a comentar, mesmo quando não há ainda nenhum comentário a um dado artigo.

No Público, deparei há dias com uma notícia sobre a TAP cheia de comentários da privataria avacalhando a companhia. Quando, mesmo sondagens "insuspeitas" - como as do pasquim CM - mostram que 80% dos portugueses são contra a privatização, como é possível APENAS existirem comentários em sentido contrário nesta notícia? Só um ingénuo pensará que não há ali trabalhinho das agências.

Outro método frequente é  retirar de imediato  qualquer matéria com muitos comentários contundentes para o sistema. Então, ou é colocada a mesma notícia retocada e limpa de comentários, ou  a matéria desaparece e entra uma nova em seu lugar.

O leitor comum não se apercebe destes truques e julga ser tudo  muito normal.

UMA LÓGICA COMPULSIVAMENTE ALIENANTE 
Mas há toda uma lógica profundamente anti-democrática nestas práticas. O simples cidadão torna-se um joguete manipulado.

Recentemente, descobri que o motor da Google guarda os gostos e visitas a páginas de cada utilizador, e foi configurado de modo a que as suas buscas sejam orientadas de acordo com os interesses que a Google acha que ele tem. Assim, dois utilizadores, fazendo uma busca no mesmo momento, na mesmo região e com a mesma expressão, raramente obtêm os mesmos resultados. Espantoso, não é?

Num sistema consumista, já de si cheio de convites à alienação, os ritmos desgastantes de trabalho levam cada um a procurar relaxar ao fim do dia, e fá-lo geralmente de forma alienante em frente a uma TV ou a uma consola de jogos, ou mesmo num vício mais grave como o álcool ou a droga.

E como se não bastasse, é montada toda esta parafernália que impede a pessoa de se esclarecer através do acesso à informação rigorosa e plural. Nada como ação preventiva,  não vá algum zombi acordar e revoltar-se.

Entretanto, se espera que as medíocres e coniventes direções da maioria dos partidos façam alguma coisa a sério -  o melhor mesmo é esperar sentado - nunca vai acontecer.


28/01/2015

DE COMO UM TEXTO DE DENÚNCIA...

... PODE  REVELAR-SE PERIGOSAMENTE AMBÍGUO

Analisando um texto propagandístico de crítica à atual situação (por  Barão Fernando e mais um conjunto de companheir@s):

«A missão da UE que "vigia"a acção do governo traçou as linhas mestras para o próximo executivo: nada de aumentos salariais, nada de contratos colectivos, [mas] aumentos das rendas de casa, liberalização dos despejos, despedimentos de mais funcionários públicos, redução de pensões e  prestações sociais, entrega de parte da Segurança Social à banca, privatização dos serviços públicos que restam... chamam a isto"reforma" e "modernização"do País! 

É através deste sistema económico-financeiro cada vez mais injusto para quem vive do seu trabalho que crescem como cogumelos os crimes, as burlas, a corrupção e os favoritismos.
Casos não faltam: BES, BCP ,BPN, BPP, BANIF, TECNOFARMA, SUBMARINOS, CASA PIA, Universidade Moderna, Universidade Independente, Monte Branco, PORTUCALE, Apito Dourado, SEF, Instituto dos Notariados, Serviços Secretos, Face Oculta, Freeport... 


E tudo isso não passa da ponta dum gigantesco iceberg! 
CORRUPÇÃO e INJUSTIÇA ESTÃO NA ALMA DESTE SISTEMA ECONOMICO-FINANCEIRO CAPITALISTA QUE URGE DERROTAR.
COMO?  NÃO PAGAR A DÍVIDA QUE NÃO CONTRAIMOS, SAIR DO EURO,  REGRESSAR AO ESCUDO E ABANDONAR A U.E. CORRUPTA SERVENTUARIA DO IMPERIALISMO GERMÂNICO E DOS CRIMINOSOS MERCADOS CAPITALISTAS QUE ROUBAM BRUTALMENTE OS PORTUGUESES E DESTROEM O QUE RESTA DE PORTUGAL.


A CIDADANIA REVOLUCIONÁRIA AO PODER!
 — com Henrique Ilharco Viana,Joana AmaroZay Penedo e 36 outras pessoas.

ANÁLISE CRÍTICA DO TEXTO
A PRIMEIRA frase do texto basicamente diz que a UE "vigia"a acção do governo e traçou as linhas mestras".
A SEGUNDA frase enumera uma série de casos de corrupção - reconheça-se o cuidado em frisar que a corrupção e o crime são fruto dum sistema explorador imposto por esta UE "alemã" e pelos "mercados".
O texto é encimado por um grande cartaz de "Não à corrupção", que acaba funcionando como foco para fixar o leitor no tema "corrupção".
Termina com um slogan: "A cidadania revolucionária ao poder".
Aparentemente nada de grave no texto.
Mas vejamos os detalhes com atenção:
O GOVERNO ANTI-NACIONAL É SEMPRE POUPADO
- Não há no texto uma única crítica direta ao atual governo
Pelo contrário, o que o texto diz é "A missão da UE que "vigia" a acção do governo traçou as linhas mestras".
Ora, apesar das aspas no "vigia", está ali implícita uma afirmação, subtil mas perigosa, de que a UE precisa de vigiar o atual governo. Quando é o contrário: esta ditadura burocrática que é a UE não precisa de vigiar o atual governo para nada.
Passos e as suas picaretas falantes nas têvês - Medinas Carreiras, Marques Mendes, Gomes Ferreiras e muitos outros - asseguram-no todos os dias ao dizerem que "esta política de cortes brutais teria sempre que existir, com troika ou sem troika" porque, dizem eles, "é a política de rigor".
É isto que dizem ou não? Claro que é ! 
Então porquê tratar com omissão este desGoverno que, a pretexto do rigor, dá golpes brutais nos pobres e classes médias, enquanto é todo mãos largas com os grandes privilegiados?
Poupar a atual clique no poder, é tratar a comissão liquidatária do País como se fosse alguém indiferenciado e não o agente dos interesses estrangeiros de rapina.
NÃO SÃO IDENTIFICADAS AS VERDADEIRAS CAUSAS DA CRISE
- Repare-se também que o texto nunca denuncia quem está por detrás da crise e apenas coloca o odioso na Alemanha e nos vagos "mercados".
Nunca se refere às verdadeiras causas. 

Mas as verdadeiras causas do endividamento monstruoso da Europa do sul são as políticas praticadas intencionalmente pelos burocratas da UE a mando de cartéis económicos como a Goldman Sachs
A política da UE consistiu sempre em reservar a produção tecnológica e de alto valor para o norte e centro europeu, deixando à periferia a tarefa impossível de concorrer com o 3º mundo e ascendentes, que todos sabem produzem a preços imbatíveis. Os países centrais e do norte, possuindo há muito toda uma logística e posição geográfica central em relação aos mercados europeus, além de setores avançados e marcas mundiais, estavam à frente logo à partida.
Era necessário um gigantesco esforço para ajudar os países periféricos a recuperar, ou, em alternativa, dotá-los de salvaguardas durante uns largos anos. Mas foi o contrário que foi feito.
As fronteiras foram escancaradas ao 3º mundo, foi imposto o euro que quebrou as últimas resistências e levou ao endividamento, a partir daí foi o descalabro.
Portanto, toda essa história das "ajudas" dos bonzinhos do norte, está muito mal contada, é uma autêntica burla.
Mas para as tais picaretas falantes, os "muito inteligentes, disciplinados e sérios" países da Europa do norte - Alemanha, Suiça, Áustria, RU, etc. - que continuam sem alterar o essencial do seu sistema, são todos bonzinhos e caridosos. Já Portugal, Grécia, Itália, Espanha, Irlanda, são preguiçosos e corruptos. - O texto menciona toda uma série de casos de corrupção.
Que não são, de facto, as causas reais e importantes da crise. São apenas aspectos marginais dela.

As causas reais estão analisadas aqui, em AS CAUSAS DA CRISE (texto a atualizar proximamente). 
A falta dum trabalho de desmontagem séria por parte dos partidos e sindicatos - oposição institucional - leva o público a depender totalmente da "informação" infecta dos media, que nos matraqueia todos os dias com as ideias referidas acima - e em que o post também cai, ao pôr tanto foco na "corrupção" interna como causa da crise.

A CRISE FOI MONTADA PELA MÁFIA GLOBALISTA
Assim, com tanta falta de clareza, são poupados a Merkel, o Obama, a City de Londres, a Wall Street, todas as offshores, grandes banqueiros e cartéis mundiais... E já agora, a globalização à chinesa... 
Porque China é claramente um dos maiores beneficiários da globalização - que os antigos centros capitalistas apoiam também, apesar dos elevados custos para os povos, incluindo os europeus - porque os grandes cartéis e especuladores financeiros ganham valores absurdos com esta globalização.
O chairman da Goldman Sachs, admitia na televisão que o seu banco, o maior do mundo e que dizem ser o verdadeiro "dono" da UE, realiza 1.000 transações por minuto. Ver aqui.
Portanto, assentemos nisto: não é a corrupção interna a causa da crise. Se fosse, países como a Índia, a China, o Brasil, a Rússia ou a Indonésia estariam permanentemente mergulhados em crise. Mas é o contrário, têm crescido sempre, mesmo estando muito pior que Portugal no ranking da corrupção. Ver aqui.
MUITO CUIDADO COM A DEMAGOGIA
Finalmente, "A CIDADANIA REVOLUCIONÁRIA AO PODER" - é um belo slogan que se transforma num balão vazio e perigoso, principalmente não havendo cidadania nem revolução nenhuma à vista.
Não ponho em causa a intenção dos autores, que nem conheço.
Mas as marionetes das agências de desinformação inundam as redes sociais com este tipo de frases, para apelarem à abstenção e prometerem, no dia a seguir às "não-eleições", que 3 milhões de pessoas virão para a na rua e impõem um regime de democracia direta caído do céu, e logo temos ali o paraíso. 
Aberrante! Mas, por estranho que pareça, há quem caia na esparrela...

A demagogia tem um efeito letal na capacidade de organização duma autêntica Resistência - que se faz absoluta urgência em Portugal, um país à beira da destruição.
Veja-se bem: os arautos da demagogia, ao invés de procurarem alertar para a necessidade estrita de organização e mais organização, militância e mais militância, lançam  frases  ocas, cujo único efeito é criar ilusões e  manter as pessoas quietinhas, convencidas que as transformações caem  do céu, sem nenhum esforço ou LUTA REAL,  que deste modo é  permanentemente adiada.

Com a apatia e atordoamento que atinge o povo português, a única certeza que podemos ter é  que enquanto se mantiver essa apatia e falta de organização, todas as mudanças só podem vir de élites alimentadas a dinheiro e ambição.
Só montando uma organização transparente e clara, com lideranças bem identificadas, com um programa muito claro também, se evitará que o poder caia ciclicamente nas mãos de novas máfias.
CONSTRUIR UMA FRENTE POPULAR, DEMOCRÁTICA E NACIONAL
A derrota, se isto continuar, é a única certeza para quem conhece a História.
Uma revolução não se faz com exibicionismos, vaidades, gente sem consciência clara do que é preciso  fazer.
Exige espírito militante e humilde. Recato e sobriedade. Trabalho simples e quotidiano, trazendo as pessoas à militância, uma por uma. Até serem mais e mais. 
A situação  da resistência hoje em Portugal é SIMPLESMENTE DESASTROSA
Se não partirmos deste principio estamos a mentir às pessoas, e a criar-lhes perigosas ilusões.

Mas que isso não seja motivo de desânimo - outro elemento muito explorado pelas gangs ao serviço do confusionismo e da contra-revolução, que insultam o povo português chamando-lhe "tugas" e coisas mais graves, visando abater a auto-estima popular. 
Os grandes e vigorosos rios começam  sempre pelas primeiras gotas que nascem puras, lá numa longínqua fonte.